consumo consciente, reutilizar

20 Coisas que Deixei de Comprar

Tudo começou quando, aos meus 20 anos de idade, abro o roupeiro e deparo-me com uma blusa que tinha comprado nos saldos há um ano e ainda tinha etiqueta. Disse para mim mesma que não voltaria a comprar por impulso e que iria começar a questionar-me antes de comprar o quer que fosse. Ao juntar-me à jornada do Desperdício Zero, apercebi-me que há coisas que deixei de comprar. Não só porque passei a consumir mais reutilizáveis mas também porque passei a reflectir no que realmente importa na minha vida e isso fez com que consumisse menos coisas.

Mas afinal que questões devemos perguntar antes de comprar?

  • Preciso mesmo disto?

  • Tenho em casa algo parecido ou que serve o mesmo propósito?

  • A minha mãe, avó, primo, tia têm a mais e podem oferecer?

  • Sou viciado/a em comprar?

  • Quero comprar isto para impressionar outras pessoas?

De seguida segue a lista de 20 Coisas que deixei de comprar. Não pensem que foi da noite para o dia, nem um truque de magia… Tem sido um processo gradual de muita aprendizagem e descoberta.

1. Saquetas de chá

Estes chás vêem com todo um arsenal de embalagem e saqueta e ainda por cima, segundo estudos da Glaucus Research, muitas das marcas de chá conhecidas contêm quantidades ilícitas de pesticidas e também intensificadores de sabor artificiais para esconder a baixa qualidade das plantas! Podem ler mais sobre o assunto aqui.

2. Pensos menstruais descartáveis e tampões

Desde que descobri o copo menstrual e os pensos higiénicos reutilizáveis que nunca mais comprei nem pensos nem tampões. Para além de serem extramamente poluentes (estima-se que cada mulher utiliza cerca de 15000 produtos de higiene feminina durante a sua vida) são nocivos para a nossa saúde, uma vez que o algodão é embebido em líxivia e este está em contacto com uma zona do nosso corpo tão sensivel e delicada. E o dinheiro que poupamos? O investimento no copo menstrual ou nos pensos higiénicos reutilizáveis é recuperado num espaço de um ano!

3. Revistas

A acumulção de revistas lidas, em casa, estava a criar-me ansiedade cada vez que tinha de limpar o pó. Passei a subscrever anualmente a Raízes Mag, revista digital com foco no tema da sustentabilidade e que vale muitoooo a pena.

4. Detergentes de Limpeza

Lembro-me perfeitamente daquela imagem de abrir o armário dos produtos de limpeza e ver umas 20 garrafas de plástico coloridas, cada uma para a sua função. Assim que descobri que podemos fazer os nossos próprios detergentes caseiros, que assim evitamos a embalagem e ainda por cima sem ingredientes nocivos e tóxicos, nunca mais voltei atrás. Nesta publicação encontras 5 Receitas Fáceis de Detergentes de Limpeza: Spray Multiusos, Limpa Móveis, Lava Tudo para o Chão, Limpa Vidros e Detergente para Casa de Banho.

5. Película aderente e folha de alumínio

São super práticos, não podemos negar mas criam tanto desperdício, porque utilizamos no dia a dia e não são recicláveis, sendo o destino final o aterro sanitário. Como alternativa temos os Bees Wraps na qual estou completamente rendida. Com o calor das mãos conseguimos moldar o bee wrap para qualquer recipiente, sendo útil para guardar comida ou até mesmo para levar sandes e fruta. Como são laváveis dá para reutilizar até um ano ou mais, dependendo do uso que damos. Ainda por cima são biodegradáveis!

6. Produtos para o cabelo

Já nem me lembro a última vez que usei gel ou laca no cabelo, agora uso apenas o champô sólido e o condicionador sólido que deixam o cabelo nutrido, natural, brilhante e bonito. Desde que uso champô sólido que os meus caracóis voltaram e o meu cabelo está mais saudável.

 7. Televisão

Há 10 anos que não tenho televisão e não sinto a falta de ter uma. Hoje em dia temos o YouTube e Netflix para nos entretermos, tendo a oportunidade de escolher aquilo que queremos ver e ainda evitamos aquele tempo desperdiçado a fazer zapping e a ver publicidade enganosa. Só não poupo na conta da televisão porque o valor do pacote televisão e internet é o mesmo se só tivesse internet.

8. Cds e Dvds

Longe vão os tempos que faziamos coleções intermináveis de cds e dvds, agora com netflix e spotify já não há necessidade de ocuparmos espaço em casa com estes objetos. A única altura que compro cds é para apoiar algum amigo ou amiga artista e depois oiço no rádio do carro porque não tenho mais nenhum aparelho onde ouvir cds.

9. Cotonetes

Primeiro fiz a transição de cotonetes de plástico para os de bambu, que são de um material orgânico e biodegradável mas continuam a ser descartáveis, por isso adquiri um cotonete reutilizável que pode ser usado, pelos menos, 1000 vezes. Há a versão ouvidos e maquilhagem.

10. Carne e peixe

Muitas pessoas alegam que uma dieta vegetariana ou vegan é mais cara, mas isso está errado. Quando afirmam tal coisas estão a referir-se a produtos como o tofu e seitan mas uma dieta de plantas é muito mais que isso, aliás nem precisas de consumir tofu ou seitan, poderás retirar a proteína nos vegetais, leguminosas ou sementes. Por outro lado deixando de comprar carne e peixe acaba por sair mais barato, não é?

11. Água Engarrafada

Quantas vezes estamos na rua e ficamos com sede, vamos ao café comprar uma garrafa de água de plástico das pequenas, bebemos em 10 segundos para jogar logo fora? Andando sempre com uma garrafa reutilizável podemos evitar esse plástico e ainda poupamos dinheiro. Os filtros de carvão purificadores de água são uma ótima alternativa aos garrafões de água. Basta encher um dispensador com torneirinha até 4L e inserir o filtro que absorve as toxinas, chumbo, mercúrio, cádmio, cobre e cloro e liberta na água cálcio, potássio e magnésio. Melhora, também, o sabor da água.

12. Rolo de Cozinha

Faz precisamente um ano que passei a usar rolo de cozinha de tecido, dá para lavar e reutilizar e posso dizer que continua lindo e imaculado. Uma vez utilizado o papel do rolo de cozinha não podemos reciclar, então irá parar ao aterro sanitário.

13. Papel Higiénico

Provavelmente o papel mais díficil de largar, para mim foi das trocas ecológicas mais naturais que acontecerem, nem houve tempo de adaptar, foi instantâneo! Limpo-me com quadrados de tecido que cortei e no caso de número 2 lavo-me no bidé.

14. Nutella

Assim que li sobre uma investigação em que afirmavam que a nutella era responsável pela queima de florestas para dar lugar às plantações de palma e, consequentemente, os orangotangos perdiam o seu habitat ou eram queimados foi automático: não quero compactuar com esta problemática e a melhor forma de o fazer é precisamente não comprando mais.

15. Discos Desmaquilhantes

Não uso maquilhagem no dia a dia mas para limpar a pele deixei de usar os discos de algodão embalados em plástico. Estes quadrados desmaquilhantes são ótimos porque são macios, laváveis e reutilizáveis.

16. Roupa na Fast Fashion

Quando vi o documentário “The True Cost” descobri que tudo na Fast Fashion está errado, começando pela matéria prima, em que são cultivados campos gigantes de algodão e utilizados vários pesticidas nocivos para o solo, para crescer mais rápido. As condições dos trabalhadores são terríveis, 14-16 horas de trabalho por dia, sem folgas e a ganharem salários miseráveis. Só para não falar que a roupa é de qualidade baixa, o que faz com que não dure mais de alguns meses e que descartemos a roupa rapidamente para o aterro sanitário. A solução passa por comprarmos a marcas sustentáveis ou em segunda mão.

17. Take Away

É excelente não termos de cozinhar e provar iguarias cozinhadas por outras pessoas. Mas o desperdicio das embalagens de take away deixa-me em ânsias, especialmente porque na maioria das vezes não podem ser nem reutilizadas e nem recicladas, ainda por cima vindas dentro de um saco de plástico. O pouco take away que faço raramente levo os meus próprios tupperwares para serem enchidos e um saco de pano.

18. Frascos de Vidro

Ainda há pouco tempo comprava frascos de vidro em segunda mão porque tinham tampas bonitinhas. Os frascos de vidro podem e devem ser reutilizados, há tantas formas de o fazermos, vejam aqui 10 Formas de Reaproveitar Recipientes de Vidro 

19. Capas para o telemóvel

Para quê termos mais de uma capa de telemóvel, se o telemóvel só precisa de uma? Aquelas questões que fazemos antes de comprar algo que já temos, estão a ver 😉

20. Acessórios

Para uma mulher é muitooo fácil acumularmos bandoletes, colares, pulseiras, pins, etc. de repente multiplicaram e nem sabemos como. Por agora estou contente com os acessórios que tenho e quando já não utilizar alguns, troco nos Mercados de Trocas.

Acrescentarias mais alguma coisa a esta lista anti-consumo?

 

_________________

Subscreve a nossa newsletter para receberes no teu email: dicas ecológicas, divulgação de eventos sustentáveis, novidades na loja e descontos exclusivos!

Related Posts

2 comentários em “20 Coisas que Deixei de Comprar

  1. Ana Rosado diz:

    Gel de banho e gel das mãos (troquei por sabonete, foi a melhor coisa que fiz, a minha pele agradeceu)
    Máscara para o cabelo (faço eu)
    Sacos de plástico (mesmo nas lojas de roupa ou outras uso os meus)
    Das 20 de cima ainda não fiz a do papel higiénico…
    Sempre só tive uma capa de telemóvel que aliás me duram sempre imenso tempo…
    Acessórios são muito raros, normalmente são só pins (a maioria sou eu que faço)
    Não gosto de chocolate ? por isso a nutella nunca fez parte da minha lista de compras, mas comida crap também nunca foi muito a minha onda… excepção às pipocas e carne e peixe (antibiótico e mercúrio ainda andam por aqui… em menos quantidade, muito menos, mas ainda comemos.
    Falta-me ainda encontrar locais para troca de roupas e venda e compra em segunda mão de jeito.
    Artigo muito interessante ?

    1. Olá Ana,
      Muito obrigada pelo teu excelente comentário e partilha 🙂
      Os sabonetes são mesmo salva vidas, aquela paz na alma de termos menos embalagens para a reciclagem e sabermos que estamos a usar produtos beneficos para a nossa saúde e para a saúde do planeta.
      Que sorte, eu adoro crap e junk food mas tento fugir a sete pés 😛
      Para trocar roupa sempre podes organizar mercados de trocas na tua zona e compra em segunda mão é explorares as feiras de bagageira aka das velharias aka da ladra à tua volta.
      Um beijinho verde,
      Marta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *